sexta-feira, 21 de março de 2014

O MELHOR EXEMPLO DE ROCK 'N' ROLL.

Estava pensando sobre Rock num dia desses e do nada, tentei imaginar qual seria a canção que melhor definiria o Rock 'n' Roll.
Não é tarefa fácil, ainda mais depois de ter ouvido centenas (senão milhares) canções desde os quatro anos de idade. Concluí que, dentre do que já ouvi e absorvi em minha vida, uma se destaca por tudo do que o Rock faz é: "Walk Over You" - da banda AC/DC.

Tudo nela é sem falhas, desde a introdução até o acorde final: solos, vocais, tempo, estrutura. Enfim, tudo o que mais admiro no Rock 'n' Roll.




Para mim, não há melhor exemplo do potencial do que este estilo representa.

E se em algum dia eu for abduzido por extraterrestres e for inquirido sobre nossa música, eu começaria com essa canção, e tentaria explicar tudo o que veio antes e depois disso.

segunda-feira, 17 de março de 2014

MÍDIA POR MÍDIA... NADA.

Via Facebook, fui perguntado recentemente sobre um dos mais novos escândalos midiáticos que envolvem o ponto de vista de uma atriz sobre qual lado do sistema econômico ela se encontra e um jornalista da revista Veja que escreveu um livro sobre em qual lado do sistema econômico as pessoas estão. O imbróglio em sua plenitude ser acompanhado AQUI.

Se leu a reportagem e os links sugeridos, gostaria de saber o que você - leitor - absorveu de um assunto como esse; comentários são sempre bem-vindos.
Eu poderia ter me desligado do assunto. Porém o que mais me intrigou nessa notícia foi minha reação à ela.

quinta-feira, 13 de março de 2014

SE ACREDITAMOS QUE O MELHOR VEM DE FORA...

O brasileiro sempre apreciou produtos importados, por sua qualidade e durabilidade.

Sendo assim, porque não importar políticos? Há uma chance de que esse produto torne nossa vida realmente melhor - ainda que a carga tributária seja alta.

domingo, 9 de março de 2014

SER BRASILEIRO É...

...Votar para ser roubado e pagar para ser enganado em cada parte deste sistema, por mais honesto que um cidadão seja.

O mérito é todo nosso por continuarmos a ser tratados como otários.

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

2014.

Neste primeiro post do ano, apenas uma estranha confissão virtual:

Sinto que há uma força maior dentro de mim, querendo sair e se expressar pela escrita. Ela urge como um demônio.

E às vezes - só às vezes - tenho medo de deixá-la sair.

sábado, 7 de dezembro de 2013

ABOUT BRAZIL.

Whenever I think about my nationality, I see myself as the least patriotic citizen ever spawned in this country. Most of my cultural background is based on foreign sources in literature, music, history, language and sometimes, attitude. Through years, the feeling of not belonging here was ever present in the back of my head.
But when I think of the country itself and the brazilian population, I feel sad, disappointed, weak and really angry. Maybe that's why I don't delve much thinking in how to become a proud and proactive brazilian citizen.

Now we live in the age of communication (sort of) and that enabled even the most antisocial person to put his voice out there - to exercise freedom of speech. That's positive. And not a while ago, I read some execerpts of a book in which describes many different ways to change the world. Writing a blog in order to raise awareness of what a person values as important is one of them. The recquirements are simple: be coherent and concise. After all, people will read it.
So, given my huge luck and blessing of having the opportunity to travel to some parts of the world, I'd like to share the knowledge of what I've seen - but first, starting from my own country. Not too many people know what brazil is all about, so I'd like to share some facts about it.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

MINHA DECEPÇÃO COM O CINEMA NACIONAL.

Não, não o cinema nacional - existem filmes muito bons em nossa indústria. Me refiro às pessoas do cinema nacional. Este post aborda minha decepção com elas.

Tenho diversas vontades não realizadas, graças à Deus.
Uma delas é investir na área de cinema como profissional. O problema desse plano é tentar fazer isso no Brasil, onde a indústria é movida por poucos. E por estes poucos saberem que há muitos que desejam ter uma carreira em cinema, eles podem fazer de tudo para desestimular, barrar ou tornar a vida dos muitos corajosos bem difícil - até que a coragem seja substituída por uma burrice consciente. Eis como me dei conta de que fui um completo asno: