segunda-feira, 13 de abril de 2015

ORWELL & SPIRITUALITY / ESPIRITUALIDADE.

ENGLISH:

1984 written by George Orwell is one of my favorite books. It makes me remember how interesting the concept of a subverted society to totalitarianism in a dystopian future can be; besides the possibilities of further analysis on a work of fiction that resonates so much with certain aspects of our reality.
The book has changed my point of view on the world and taught me how to observe and analyze the behaviourism levels in our society - as much on a micro level (individual) and macro (collective). How can people act and react either alone or in groups. A perspective learned from sociology, philosophy, psychology and spirituality.
That's why and how Orwell's works strike me - they make me stop and think.

segunda-feira, 6 de abril de 2015

MULHERES / WOMEN.

Art: Adam Hughes.


PORTUGUÊS:
Não podemos viver com elas, não podemos viver sem elas.
Que aqueles que nunca tiveram problemas ou profundos autoquestionamentos em relação as mulheres em suas vidas, levantem as mãos.
Mas é apenas justo dizer que aprendi muito com elas também; e ainda espero aprender mais.



ENGLISH:
Can't live with them, can't live without them.
Let those who never had problems or deep self-questioning thoughts regarding women in your lives, raise your hands.
But it's only fair to say that I've learned a lot with them as well; and I still hope to learn more.

domingo, 5 de abril de 2015

UM DOS MEUS MELHORES PRAZERES.

Como aquele velho ditado postula: Não é o destino final, mas sim a jornada que vale a pena.


























São essas palavras que me atingem quando me preparo para uma viagem por terra. Há um prazer único pra mim ao dirigir em estradas, principalmente quando estou só no carro. E na minha frente, nada mais, a não ser a interminável faixa cinza, onde posso me entregar e às vezes, ser hipnotizado por ela.
Sei que estarei dirigindo, mas preciso de um esforço pra me dar conta que estou fazendo isso.

sábado, 4 de abril de 2015

NICK CAVE.



O que eu mais gosto em Nick Cave é como ele notoriamente rico em suas composições. Não interessa se algumas canções são menos conhecidas ou impactantes, mas cada uma delas possui um conteúdo brutal. Há sentimentos nas obras dele que me identifico muito.

De um punk - dotado de uma fúria musical pronta a explodir - a um romântico ao extremo, ele consegue ser mais suave aos meus ouvidos do que Elton John e mais conquistador do que Bryan Ferry e Bono juntos.
Tive uma agradável surpresa ao descobrir que ele também compõe trilha sonoras, escreve livros, roteiros para filmes e até atua neles.

Isso pra mim, são feitos de um compositor perfeito. Às vezes me culpo por ele ter sido inserido em minha educação musical um pouco tarde, mas felizmente, não tarde demais.

terça-feira, 10 de março de 2015

UM OUTRO COMENTÁRIO SOBRE ESCRITA.

Passei o começo de 2015 pensando sobre o que escrever.

Ainda não me decidi. Fiquei muito doente e ainda estou em processo de recuperação. Com isso, meu índice de produção despencou numa espiral descendente. Recebi um conselho interessante que eu deveria escrever sobre o que está acontecendo comigo, talvez assim possa entender e experienciar melhor as razões do processo.
Daí uma das máximas de José Saramago (acredito) ressurge mnemonicamente em meu cérebro e divide os hemisférios verticalmente, secando a minha garganta até o meu órgão mais frágil - aquele que bombeia sangue e causa outros tipos de doença: "Escrevo porque no fundo, não quero morrer."

Fuço no arcabouço de rascunhos do meu blog, e topo com o texto abaixo, a réplica salva de uma conversa sobre o tema com uma antiga amiga - sobre como ela não apenas enxerga -, mas sente a importância visceral de escrever.


terça-feira, 15 de julho de 2014

A STUDY IN GREEN, YELLOW AND RED.

Hi. Welcome to my blog.

"Dragão Vermelho" stands for "Red Dragon" - with no relation whatsoever to the Thomas Harris' novel, just a coincidence. Although let it be known that I really do like the mythology and imagery of dragons (hence the red dragon), but that's a subject for another post.
For those unaware of what my blog is all about, it can be about anything I feel like writing; mostly the things I enjoy in this life - being spirituality, movies, comic books, photography, media and any feeble attempt to write fiction.

Not so long ago, I wrote a text which was my first public outburst in English on how much I am dissatisfied with my country and its government; it is a short text. You can read it here.

This text you're about to read below is nearly five years in the making. It wasn't even my intention to do so, given my aforementioned interests in life, but every time I had an epiphany or underwent some kind of embarrassment due to the flawed system of laws and authority behavior in my country, I'd write a note on that for future reference, so I could have reasons to do something against it - to react, to complain, to say plainly that whatever happened and still happens in this country is just not right. To say that Brazil is going seriously wrong. To say that I'm tired and angry. I believe the time to expose things altogether is now.

I want to talk about Brazil.

There's a sense of reward for waiting that long. And I think it's only fair to publish now while the eyes of the world are on Brazil, during the world cup season, in this very moment of our history; a history that is also mine. I was blessed enough to be given a higher education and be taught about economics, national and international politics and laws. I've had the unique opportunity to work abroad and get to know a little bit more of the world; met people from all over the world, made acquaintances. I listened and asked about everything I could. Observed their social systems. Such experiences built a wider notion of what I thought the world is in my mind.
That's why I can no longer keep my eyes and mouth shut as to what currently happens here in Brazil; this statement has been based in experience and comparison on how I, and I alone, perceive it.

sábado, 28 de junho de 2014

INTERLIGAÇÕES.




Antes mesmo de descobrir qual era minha comida favorita, eu já me dava conta do impacto que histórias tinham em minha vida. Gosto de pensar que elas ajudaram a formar a pessoa que sou hoje, me influenciando em vários aspectos. Gosto de observar o que as histórias causam nas pessoas e ouvir o que elas sentem após absorverem uma, independente de seu formato - seja por um livro, filme, uma canção, uma história em quadrinhos, um conto, um enredo de um jogo de videogame, uma canção de Johnny Cash, uma descrição de um acontecimento importante, uma lição de vida de alguém mais velho e experiente, uma piada.
Por isso, agradeço muito à Deus por ter em meu corpo duas orelhas, dois olhos e uma boca - perfeita simbologia (acho até impressionante) em nossos corpos, que ao meu ver, define como deveríamos tratar a comunicação em nossas vidas.

Principalmente a comunicação através de histórias.